31 de mai de 2015

Caixa de Correio #04

Recebi da editora Arqueiro esse lindo Kit do lançamento "O Príncipe dos Canalhas" (livro + ecobag Romances de Época + bottom + cartão postal + adesivo Eu Amo Romances de Época). Já iniciei a leitura e em breve a resenha será publicada. As expectativas são altas, pois o livro foi ganhador do prêmio RITA de Melhor Romance Histórico.


Também pela Arqueiro recebi o mais novo lançamento de Harlan Coben, "Que Falta Você me Faz". Será o primeiro livro que leio do autor e as expectativas são altas também.


Da editora Sextante recebi "O Segredo". Ele venho com uma jacket de papel e a edição está bem caprichada, com capa dura e linda diagramação. Ideal para colecionadores.


Além dos livros recebi da Arqueiro um Kit de marcadores e da Sextante uma amostra para colorir.



24 de mai de 2015

Porto Alegre recebe a Exposição Brasil e Holanda – Paz e Justiça



Focada nos temas Relembrar, Refletir e Reagir, a exibição traz à tona fatos históricos entre Brasil e Holanda e vem proporcionar ao público uma reflexão sobre este passado comum com foco na construção de um futuro melhor.

A mostra Brasil e Holanda – Paz e Justiça – refletindo sobre o passado, construindo um futuro melhor integra a exposição itineranteAnne Frank: uma história para hoje, que já percorreu diversos estados brasileiros e foi vista por mais de 14 milhões de pessoas, em 90 países ao redor do mundo.

Este evento traz à tona – sob uma perspectiva cronológica paralela entre a vida de Anne Frank, a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto – a necessidade de se refletir sobre vários temas atuais de direitos humanos, inclusive, sobre as questões de exclusão social e de discriminação em razão da nacionalidade, crença religiosa, cor, orientação sexual e opinião, violações essas que ocorrem diariamente em diversos países do mundo. Em relação ao Brasil, “Paz e Justiça” também consegue dialogar com o período de ditadura civil-militar, que deixou marcas profundas, com consequências até hoje. A construção de uma memória coletiva sobre as violações de direitos humanos cometidas no passado (durante o Holocausto e ditadura, por exemplo) é uma forma de honrar as vítimas e construir um presente mais justo e democrático.

Trata-se também de uma ação cultural que possibilitamostrar ao público que a relação entre Brasil e Holanda vai muito além do futebol, abrangendo uma vasta herança cultural compartilhada e focada em temas como justiça internacional, direitos humanos e educação para uma cultura de paz.

O evento, que tem entrada gratuita e será aberto ao público em geral, acontece no Shopping Praia de Belas - Praça da Magia, 1º piso, de 15 de maio a 15 de junho de 2015, de segunda a sábado das 10 às 22 horas e aos domingos e feriados das 11 às 22 horas.

A exposição é uma iniciativa da Embaixada dos Países Baixos, em Brasília, com realização da Casa Anne Frank, WZM Plataforma Brasil Holanda, Instituto Plataforma Brasil e Shopping Praia de Belas. São parceiros neste evento em Porto Alegre: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Escola Anne Frank de Porto Alegre, Lar da Criança Anne Frank, Grupo A Editora, SENAC-RS, Pizza Hut, Empresa de transporte Carris, além do AHJB -Arquivo Histórico Judaico brasileiro, Cia Atlântica, Cibracon, Família Halpern e Fundação Arymax.

Faces da exposição Brasil e Holanda – Paz e Justiça

A primeira parte da exposição aborda a história de João Maurício de Nassau e sua influência no Brasil no século 17. Os painéis da exposição irão focar os laços históricos entre Brasil e Holanda.

A segunda parte mostra a história de Anne Frank e do holocausto na Europa. Aqui estão explícitos exemplos de injustiça humana, racismo, preconceito, discriminação, a falta total dos direitos humanos e as consequências desses atos nos homens.

Já na terceira fase, estão expostos os painéis relacionados à Cidade de Haia, conhecida como Cidade Internacional da Paz e da Justiça. Nesta fase, conseguimos entender a importância que Haia representa na luta pela impunidade, uma vez que nela foram estabelecidos os primeiros tratados formais internacionais sobre leis e crimes de guerra e onde se encontram instituições internacionais de justiça.

SERVIÇO:

Exposição Brasil e Holanda – Paz e Justiça

Onde: Shopping Praia de Belas - Praça da Magia, 1º piso.

Av. Praia de Belas, 1181 - Praia de Belas, Porto Alegre – RS

Visitação: de 15 de maio a 15 de junho de 2015.

Horário: De segunda a sábado das 10 às 22 horas e aos domingos e feriados das 11 às 22 horas

Entrada Franca.

Fonte

21 de mai de 2015

Resenha: Christine

Christine
Autor: Stephen King
Editora: Objetiva
Ano: 1998
Número de páginas: 321
Gênero: Horror
Onde comprar (edição 2013): Americanas | Submarino | Saraiva

O livro que escolhi para conhecer a escrita de Stephen King me traz uma nostalgia muito grande, lembro de assistir com minha mãe quando ainda era criança a adaptação para o cinema de 1983 "Christine, O Carro Assassino" nas tardes do Cinema em Casa. Sempre gostei muito de filmes de terror e ler os livros do King sempre foi um objetivo para mim e nada melhor do que começar com um dos seus clássicos: Christine.

Arnie Cunnigham é um adolescente que mora em um pacato subúrbio de classe média, na escola é alvo de gozações devido a sua aparência, um rosto coberto de espinhas e corpo magro demais para esportes. Possui um amigo de infância que é totalmente o oposto dele, Dennis é atleta, joga no time de futebol da escola e é o típico estudante "popular". Mas tudo começa a mudar com a chegada de Christine.

Em um dia normal durante as férias escolares de verão ArnieChristine pela primeira vez, ela está estacionada no pátio da casa do velho Roland D. Lebay com um anúncio de "À VENDA". Arnie se apaixona à primeira vista pela lata velha e de imediato resolve comprá-la, Dennis que o acompanha acha tudo uma péssima ideia, mas nada no mundo poderia convencer Arnie do contrário, o feitiço já havia sido lançado.

Regina Cunnigham acostumada a controlar tudo na vida do filho começa a viver um inferno na Terra com a decisão de Arnie, o proibindo de levar o carro para casa devido a seu estado, faz com que ele alugue um box na garagem "faça-você-mesmo" de Will Darnell. Essa é apenas a primeira consequência na vida dos que cercam Arnie, nada mais será igual, nem mesmo a aparência do adolescente que todos consideravam um "perdedor".

Enquanto Arnie reforma o carro, sua aparência e personalidade também começam a mudar, as espinhas somem e é o suficiente para chamar a atenção da aluna nova da escola. Leigh Cabot se apaixona por ele, mas não imagina que possui uma grande rival, Christine. Dennis secretamente se sente atraído pela namorada do amigo e um segundo triângulo amoroso é formado.

Tudo começa a ficar pior quando o antigo dono de Christine morre, é com esse acontecimento que embarcamos no mundo amaldiçoado do Plymouth Fury 1958. Um passado sombrio envolvendo o carro é revelado com as investigações de Dennis que já desconfia que algo terrível paira sobre seu amigo. O livro é dividido em três partes, a primeira e última são narradas em primeira pessoa por Dennis. Mas apenas depois de 50% da leitura que o carro realmente começa a fazer vítimas e cria vida própria, o que achei um pouco demorado, pois não consegui de fato "devorar" o livro, que possui 321 páginas com pouco espaçamento entre as linhas.

Algo que gostei muito foi cada capítulo iniciar com um trecho de alguma música de rock, assim como Christine que só sintoniza a WDIL. São detalhes assim que tornam a obra de Stephen King tão rica e de qualidade incontestável. Também há o cuidado com cada personagem, fazendo o leitor conhecer o psicológico de cada um. É tudo muito real tratando-se das relações humanas, fugindo de muito clichês literários. Uma leitura que recomendo, principalmente se você é um fã do gênero.

"Seu egoístico objetivo.
Sua fúria interminável"

4 de mai de 2015

Filme: Vingadores: Era de Ultron

Vingadores: Era de Ultron (The Avengers: Age of Ultron)
Gênero: Ação, Aventura, Ficção científica
Duração: 2h22min
Data de Lançamento: 23 de abril de 2015
Diretor: Joss Whedon

Sinopse: Tentanto proteger o planeta de ameaças como as vistas no primeiro Os Vingadores, Tony Stark busca construir um sistema de inteligência artifical que cuidaria da paz mundial. O projeto acaba dando errado e gera o nascimento do Ultron (voz de James Spader). Capitão América (Chris Evans), Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Thor (Chris Hemsworth), Hulk (Mark Ruffalo), Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) terão que se unir para mais uma vez salvar o dia.


O último domingo foi dia de cinema, fui ao Cinemark assistir Vingadores: Era de Ultron e testar a nova tecnologia chamada D-BOX (as poltronas se movimentam para simular vibrações, quedas e trepidações que estão acontecendo no filme).

Estava muito ansiosa para conferir o segundo filme da franquia Vingadores, dos universos solos o meu favorito é o Homem de Ferro, mas com a reunião de todos os Vingadores, cada herói se torna interessante, pois possuem personalidades diferentes e precisam trabalhar juntos para salvar o mundo.

Vingadores: Era de Ultron já começa em ritmo acelerado, pois a primeira cena reúne todos os Vingadores em ação. Ao contrário do primeiro filme, não há mais necessidade de apresentações. Os personagens Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) ganham mais destaque nesse filme.


Há novos personagens como os gêmeos Mercúrio (Aaron Taylor-Johnson) e Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen) que são importantes para o desenvolvimento da trama, pois são manipulados pelo Ultron.


Gostei muito do vilão Ultron (James Spader), uma inteligência artificial criada por Tony Stark (Robert Downey Jr.) com a ajuda de Bruce Banner (Mark Ruffalo) para proteger a humanidade. O que o Homem de Ferro não esperava era que para Ultron a salvação da Terra depende da destruição dos Vingadores. Com essa premissa são 2h22min com muitas cenas de ação de tirar o fôlego, acompanhadas de incríveis efeitos especiais.

O primeiro contato com o D-BOX é bem divertido e a tecnologia funciona muito bem, acompanhando os movimentos das cenas. Mas apenas o 3D já é o suficiente para uma ótima experiência, pois com o passar dos minutos é quase como se você estivesse em uma cadeira de massagem e o custo do ingresso é bem alto (R$ 44,00).

Vingadores 2 é sem dúvidas aquele filme que vale a ida ao cinema, você não percebe a hora passar, um excelente entretenimento. Uma das minhas expectativas para o próximo filme é que seja desenvolvida a relação da Viúva Negra com o Hulk, pois gostei desse provável casal.
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo