31 de dez de 2015

Caixa de Correio #10















Livro comprado: Cinquenta Tons de Cinza (E. L. James).

Livros recebidos em parceria com a editora Arqueiro: O Último dos Canalhas (Loretta Chase) e O Coração do Leão (Mia Sheridan).















Mimos recebidos da editora Arqueiro e Sextante: Um calendário maravilhoso de 2016, um Paper Toy para montar do livro Diário de um Zumbi do Minecraft, pingente e botton do livro O Coração do Leão e dois marcadores.

Resenha: Perdido em Marte

Perdido em Marte
Autor: Andy Weir
Ano: 2015
Número de páginas: 336
Gênero: Ficção Científica
Editora: Arqueiro
Onde comprar: Americanas | Submarino | Saraiva | Fnac | Shoptime | Livraria da Travessa | Livraria da Folha | Livraria Cultura


Após um terrível acidente durante a missão Ares 3, o astronauta Mark Watney é deixado para trás pela tripulação, que sem saber abandona o colega ainda vivo em Marte. Totalmente sozinho e sem comunicação com a Terra, ele terá que usar todos os seus conhecimentos de engenharia e botânica para encontrar uma forma de se manter vivo até um possível resgate.

A maior parte do livro é composta pelo diário de bordo de Mark, que registra em primeira pessoa tudo o que está acontecendo com ele e seus planos de sobrevivência. Em determinados momentos, a narração é feita em terceira pessoa para acompanharmos o ponto de vista da tripulação que está na nave Hermes à caminho da Terra e também da equipe da Nasa. Em momentos críticos a situação de Mark é narrada em terceira pessoa para deixar o leitor aflito com o destino do protagonista. E são muitos momentos de tensão!

Amei o senso de humor de Mark, mesmo em uma situação desesperadora, ele mantém o bom humor e não desiste nunca. Algo que torna Perdido em Marte um livro motivador, pois passa muito bem a mensagem de que a pior coisa que pode acontecer com uma pessoa é desistir de si mesma. E é impossível escrever sobre o livro sem lembrar das batatas, o único alimento capaz de oferecer as calorias necessárias para que Mark não morra de fome, a missão quase impossível de cultivar batatas em grande quantidade em Marte é um dos pontos mais marcantes.

Apesar de ser uma ficção, o embasamento científico é muito real, e você se envolve de uma forma tão intensa com o que está sendo descrito, que é difícil imaginar o que de fato o autor inventou e o que ele usou da realidade. Fazia muito tempo que não lia um livro de ficção científica e acertei em cheio escolhendo Perdido em Marte, já havia lido muitos comentários excelentes à respeito dessa história e o fato de ter sido adaptado para o cinema me instigou ainda mais à lê-lo. Esta é a primeira obra publicada do autor Andy Weir, que realmente se destaca por sua originalidade e qualidade de escrita.

4 de dez de 2015

Resenha: A Voz do Arqueiro

A Voz do Arqueiro
Autora: Mia Sheridan
Ano: 2015
Número de páginas: 336
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro
Onde comprar: Americanas | Submarino | Saraiva | Shoptime | Livraria da Travessa | Livraria da Folha | Livraria Cultura


Baseado na mitologia de Sagitário, A Voz do Arqueiro é o primeiro volume da coleção Signos do Amor da autora Mia Sheridan. Cada livro da coleção é inspirado nas características de um signo do Zodíaco. Amei essa ideia e pretendo ler todos os volumes.

Primeiramente me interessei por A Voz do Arqueiro por ser baseado no meu signo e a capa é muito bonita também. Logo que iniciei a leitura adorei o fato da autora apresentar de forma resumida a lenda da mitologia grega por trás do signo de Sagitário, acredito que será assim nos livros seguintes também.

Os protagonistas da história são Bree Prescott e Archer Hale. Bree decidi ir morar em Pelion, uma cidade pequena do estado do Maine, deixando seu passado para trás. Ela ainda sofre com as lembranças dolorosas de uma noite terrível. Archer mora em Pelion desde que nasceu e devido a um acontecimento traumático de seu passado é mudo e vive totalmente isolado. Os caminhos de ambos se cruzam e um grande amor surge desse encontro de duas almas feridas.

Como boa sagitariana me identifiquei com vários aspectos da personalidade de Archer, a autora soube muito bem criar um personagem baseado na mitologia do Centauro. Archer é encantador e dono de um tanquinho maravilhoso (risos). Bree é uma mulher forte apesar do sofrimento que carrega, ao se aproximar de Archer e tentar desvendá-lo, ela irá encontrar a cura para suas próprias feridas.

Apesar da história ser um romance dramático, há momentos engraçados e picantes. A maior parte do livro é narrada por Bree e pequenos capítulos por Archer, pois é com a ajuda de Bree que ele irá encontrar a própria voz, gosto muito quando a estrutura da narrativa tem relação com os sentimentos dos personagens. Ainda não havia lido nenhuma obra de Mia Sheridan e gostei bastante de sua escrita. A Voz do Arqueiro já está entre meus livros favoritos do ano.
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo